quarta-feira, 21 de maio de 2008

CAVACO E SEUS AMIGOS

Os empresários que financiaram Cavaco
“Presidente de todos os portugueses”… ou de alguns deles


Jardim Gonçalves, Paulo Teixeira Pinto e Góis Ferreira; os presidentes do BPP (João Rendeiro), Banif (Horácio Roque), Santander (Horta Osório), BPN (José Oliveira e Costa) e Finantia (António Guerreiro); presidentes de grandes grupos de diversas áreas: Mello (José de Mello), Amorim (Américo Amorim), Solverde (Manuel Violas), SGC (João Pereira Coutinho), RAR (João Nuno Macedo Silva), BIAL (Luís Portela), Altri (Paulo Fernandes), Hotéis D. Pedro (Stefano Saviotti), grupo CIN (João Serrenho), Vicaima (Arlindo Costa Leite), Luís Simões (Luís Simões), Pestana (Dionísio Pestana) e Jerónimo Martins (Alexandre Soares dos Santos); e ainda, da área da construção civil, Vera Pires Coelho (da Edifer), António Mota (da Mota-Engil) e Diogo Vaz Guedes (da Somague), condenado recentemente por um financiamento ilegal ao PSD.
A "fina flor" do capitalismo lusitano está todo (ou quase) aqui.

Cada um destes "amigos" contribuiu com 20.000€ , como dizia o outro, é só fazer as contas....

Sim!!!! Cavaco Silva é presidente de "todos" os portugueses......

4 comentários:

Jorge Borges disse...

Camarada

Venho aqui dar-te as boas vindas a este nosso blogue. Bom post!

Abraço solidário

Jorge P.G disse...

Retirando um deles, que conheço há mais de 30 anos (fui mesmo professor particular de 3 dos filhos) e que é empresário, sim, mas um bom empresário e empregador, temos aqui um belo naipe para jogar golfe, sim senhor!
São então estes os "patrões" portugueses do país, não é? Muito bem!
E rebimba o malho!

Um abraço.Jorge P.G.

P.S.<(salvo seja!) Tás todo bonito, ó Xará!

Mentiroso disse...

Quanto aos lorpas dos eleitores que votaram nele veja-se aqui porque o fizeram.

A. João Soares disse...

E Cavaco é um homem que conhece o que é gratidão, pois alguns já foram condecorados em festa de data histórica!
Sobre esse conceito de gratidão em vários sentidos, já me referi várias vezes no Do Miradouro quando me referi aos «tachos dourados» e às «reformas milionárias»
Abraço
A. João Soares