sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Inaptidão da Polícia e Banha da Cobra dum Ministro Impostor

O assalto de ontem a um banco com tomada de reféns, praticado por uma par de parvalhões, veio demonstrar a incapacidade da polícia, consequência única das condições em que políticos corruptos e falsos do género do actual ministro do interior a colocaram.

Sem treino adequado, sem formação psicológica, sem princípios de procedimento cívico, sem logística adequada, os agentes andam por aí desorientados e perdidos. Aos tiros como num western e crêem-se competentes e eficazes. Por demais, têm ordenados que os obrigam a viver quase na miséria e não têm apoio psicológico adequado. O ministro, por seu lado, em lugar de pedir desculpa por este estado, pois que é ele o principal responsável, tenta arrogantemente uma lavagem da cabeça aos cidadãos.

Neste caso a polícia provou:

  • Não ser capaz de lidar com casos do género, pois cometeu vários erros, começando por enviar o jantar aos assaltantes.

  • Não foi capaz de ter uma conversa produtiva com os assaltantes, pois que nos dizem que os queriam convencer a render-se. Que loucura de desmiolados. Que falta de tacto.

  • • Não foi capaz de qualquer outra acção se não a de disparar, como de costume. A polícia, completamente desorientada e fora das suas atribuições, arma-se em juiz, condena e assassina. Tanto mais grave quanto num país onde não há pena de morte.

  • Como de costume também, cometeu abusos selvagens contra os cidadãos, obrigando os residentes a passarem inúmeras horas fora de casa e sem jantar. Injustificadamente.


Tirando todas as dúvidas a quem de compreensão curta, fica aqui bem expresso que a culpa do estado de incompetência, de abuso e brutalidade da polícia não deve nem pode ser imputado à própria polícia nem aos homens e mulheres que a compõem. Para quem ainda não o tenha descoberto, saiba-se que as culpas de todas estas consequências são sempre e incondicionalmente dos maus dirigentes cuja administração incapaz produz tais resultados. Por demais, com ministros aldrabões e corruptos como o do interior, não se pode esperar qualquer melhoria nos tempos próximos. Se o homem se apraz em travestir os erros e tudo que está mal em actos de louvor, que se pode esperar?

Vote-se nessa cambada de parasitas que apenas querem viver e enriquecer roubando o tesouro público, o nosso dinheiro. Dúvidas? Notem-se as últimas estatísticas da União Europeia, demonstrando que Portugal é o país onde os bancos mais roubam a população. Onde a diferença entre os juros por eles recebidos e os pagos é de longe a maior. Não se pode pedir um empréstimo porque os bancos nos arruínam com juros; não interessa economizar porque os bancos quase não pagam juros. Ficam com o dinheiro todo para eles e pagam menos impostos. É isto a justiça social num país democrático? Quem o permite, senão os mesmos corruptos dos clãs oligárquicos? Ainda existem néscios a dizerem que Portugal é uma democracia.

Adenda
Mais tarde veio a conhecer-se que quando a polícia soube que o assaltante agora morto disse ao primo que preferia morrer a render-se, a polícia tomou a decisão de matar ambos. Trata-se pois dum assassínio claramente premeditado. Ninguém tem o direito de matar a outrem, mesmo que esse outro mate, o que não foi o caso nem nunca seria. salvo por possível desnorteamento dos assaltantes. Não há excepção, nem pode haver, senão cada um faria a sua. A polícia é completamente incapaz, não por falta de treino, mas por falta de treino adequado, com os (ir)responsáveis que tomam as decisões à cabeça. Quanto mais alto se sobe pior é esta condição.

5 comentários:

A. João Soares disse...

Eu ia concordar contudo e lavrar um auto de louvor ao post, no bom estilo do MAI!! mas acho que o texto é injusto para este MAI. Ele é tão tão zeloso da polícia que, há pouco tempo, quando à noite houve um incidente na esquadra dos Olivais, ensinou o Director-Geral da PSP a fazer a escala de serviço por forma a que nas esquadras nunca haja apenas um agente!!!
Isto é humildade e é ter o tempo bem gerido para se poder ocupar com as funções de um mero sub-chefe da PSP!!! Mas infelizmente, o tempo não é elástico e, por isso, haverá tarefas que devem ser da responsabilidade exclusiva do ministro e que ficam de lado...
É assim esta «democracia».
Abraço
A. João Soares

AP disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zorze disse...

Meu caro Mentiroso,

Tens razão quando os Bancos roubam o povo e etc... De acordo.
Mas a questão da actuação da polícia estás a ver a coisa completamente ao contrário. Tudo bem criticar as incongruências da sociedade, mas tudo a eito sem se saber o que se está a falar, vamos com calma amigo. Eu até conheço um dos GOE que esteve lá e são trabalhadores como todos nós.
Tem que se ter um pouco da noção da situação em concreto, que é de complexidade elevada. De stress intenso. É fácil falar quando se vê o desenrolar da coisa em casa no sofá e de chinelos. Julgas que quem enfiou o balázio na cabeça do bandido não custa? Se calhar hoje ainda não dorme.
Brutalidade policial, estamos de acordo. Mas, pergunto-te se estivesses lá como refém, talvez te mijasses nas calças ou até pior te borrasses todo, no sentido literal da palavra. Em situações destas é muito fácil avaliar por fora meu caro. Não mistures conceitos e políticas mostrando que é tudo a mesma coisa. Fala-te quem já tem um bocadinho, mas só, um bocadinho de experiência nestas coisas.
Não sacralizes ideias bíblicas como «não matar». Às vezes é mesmo preciso matar.

Abraço,
Zorze

Anónimo disse...

Quem escreve um post destes concerteza que ou não sabe o que é a realidade, ou não está de todo bem psicologicamente. Espero que nunca tenha de estar numa situação identica à dos refens, pois se algum dia isso acontecer de certeza que muda de opinião.
"Ninguém tem o direito de matar a outrém, mesmo que esse outro mate"??????? desculpe mas o Sr. não pode estar bom da cabeça, cure-se.
parabens á PSP, BOM TRABALHO.

Clitórix disse...

Até q enfim!!!!!!!!!!!!
Ando no gamanço á tanto tempo q mais ninguem se lembrou de ter compaixão para comigo!! Porra só dizem mal de mim, e agora este "camarada" vem ser solidário para comigo, como se fosse um dos meus (será??), fico muito sensibilizado!!! Bem hajas, filho do Grande Arquiteto!!!
Beijócas deste teu colega!!!!