quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O ESTADO DO ESTADO

Tenho-o afirmado bastas vezes o maior problema deste Estado é a falta de competência dos seus mentores.
A incompetência tem de forçosamente de descambar em corrupção. O país é pequeno dizem uns (mas que raio o Luxemburgo também o é e que se saiba a mesma é quase nula), penso que o problema não passa por aí.
Se verificarmos, os mandantes de agora são “herdeiros” do antigamente, os seus mestres foram figuras gradas do fascismo, ora, os ensinamentos não poderiam nunca ser de verdade, liberdade, tolerância, nem sequer de hábitos democráticos.
Os partidos aos quais vamos (por enquanto) dando de tempos a tempos o voto, estão entalados entre a demagogia bacoca de gente sem escrúpulos e os vendedores de ilusões mais ou menos gastas, para além de estarem reféns de seitas e afins.
Os mais novos que vão aparecendo na cena partidária aprenderam com esta gente, os “mestres” são os falhados do sistema, ora, por exclusão de partes eles (os mais novos) só poderão ser mais medíocres que aqueles.
O país resvala para a bancarrota, o que produzimos anualmente não chega para pagar a dívida ao exterior durante um ano, os números são exorbitantes, e de quem é a culpa? Todos o sabemos, políticas desastrosas, sempre feitas nas nossas costas e contra nós, políticos incompetentes e corruptos ajudaram a compor o ramalhete.
Com tal cenário era de prever casos de corrupção em catadupa, enumera-los a todos tornar-se-ia fastidioso, os meus amigos sabem bem os quantos existem (e só aqueles que são tornados públicos) outros haverá com certeza.
Há solução? Claro que há solução, bastava para tal o Povo tomar consciência da força que tem, a ocupação de fábricas e empresas cujos patrões as abandonam era uma primeira medida, depois existe a insurreição popular, a organização popular de base, a democracia directa como única “arma” para a verdadeira democracia popular, a greve geral e generalizada era outra solução, outras haverá. Cabe-nos a nós a tarefa de deixar aos nossos netos um país diferente.

Parafraseando o poeta:

Que força é essa que trazes nos braços

que só te serve para obedecer

que só te manda obedecer

Que força é essa, amigo

que te põe de bem com outros e de mal contigo

4 comentários:

Kaotica disse...

http://antinatoportugal.wordpress.com/2009/11/29/blogues-como-tornar-se-um-blogue-apoiante-da-pagan/

A. João Soares disse...

Neste início do mês festivo de Dezembro, o blogue Do Miradouro, deseja a este blogue, aos seus visitantes e comentadores um Feliz Natal, com saúde e pensamentos positivos com esperança no Ano Novo e fé num Mundo Melhor.

Abraços
João

joseluz disse...

Isto precisa é de acção e quanto a alternativas procure em "alutaoperaria.wordpress.com" se concordar com elas, divulgue-as,no minimo dê a sua opinião.
"jotaluz@gmail.com"

sepol disse...

O problema é o povo ter medo do caos incial, senão iam ver como era.